Marcelo Santos-Ales 3

Marcelo Santos tem mostrado que sabe fazer de um limão uma limonada

Artigos

Por Wanderson Amorim

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Marcelo Santos (Podemos), em seu sexto mandato, tem demonstrado que consegue se movimentador nas mais diversas alas partidárias no Espírito Santo.

Sem fazer alvoroço, Marcelo Santos está em ascensão política e poderá ter papel de destaque nas eleições 2026. Para o pleito de 2024, o deputado, que é aliado do governador Renato Casagrande (PSB), tem apostado até em opositores do Palácio Anchieta, como exemplo cito o prefeito Lorenzo Pazolini (Republicanos), onde o presidente da Ales estará em seu palanque.

Santos também deve jogar em lados opostos ao governador em outros colégios eleitorais importantes, como na Serra, apoiando Pablo Muribeca (Republicanos), e Cachoeiro de Itapemirim, com o advogado Diego Libardi (Republicanos), cujo apoio se dará por meio do deputado estadual Allan Ferreira (Podemos), que tem à sua disposição siglas como o PRD, Solidariedade, PMN e Avante.

Para não ter que dividir a bola, ou melhor dizendo, evitar conflitos com o deputado federal Gilson Daniel, presidente do Podemos no ES, Marcelo está de saída da sigla. Tinham até então, com aval da executiva nacional, uma espécie de combinado em que dividiam o partido de acordo com os interesses de cada um nos municípios capixabas, o que na prática não funcionaria muito bem em ano eleitoral.

Marcelo sairá de Podemos de forma amigável, com carta de anuência dada por Gilson Daniel, que tem desafios maiores na sigla, como o conflito em Cachoeiro de Itapemirim com o deputado Allan Ferreira, que firmou apoio a Diego Libardi contra os interesses do Palácio Anchieta.

O presidente da Assembleia Legislativa já esteve em Brasília em encontro com a executiva nacional do União Brasil, terceiro maior partido do país, mas que precisa ser melhor reestruturado no Espírito Santo. Essa deve ser a nova casa de Marcelo Santos e a sigla poderá ser presidida por ele em solo capixaba. Faltam alguns ajustes, uma boa conversa com o atual presidente da agremiação, o secretário estadual de Meio Ambiente, Felipe Rigoni.

Bom articulador e político que sabe fazer de um limão uma limonada, ninguém tem dúvidas. E no andar da carruagem, se os movimentos para sua entrada no União Brasil se concretizarem antes das convenções partidárias para as eleições 2024, Marcelo Santos poderá mudar todo o tabuleiro eleitoral do Espírito Santo, desfazendo acordos já firmados por Rigoni a favor dos interesses de seu chefe Renato Casagrande.

Pode ser um xeque-mate do presidente da Ales de olho logo ali nas eleições 2026. Embora seja cotado para deputado federal, poderá alçar voos maiores com ampliação de sua base eleitoral e os movimentos em 2024.

Marcelo Santos tem deixado muita gente com a pulga atrás das orelhas, está com a bola em excelente posição, prontinha para chutar e marcar gol de placa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *