24/05/2022 às 10h51min - Atualizada em 25/05/2022 às 00h00min

Pesquisador Guilherme Brockington fala dos benefícios da contação de histórias ‘para crianças internadas

Projeto da Associação Viva e Deixe Viver utiliza plataforma online para levar afeto e esperança por meio da imaginação e da literatura

SALA DA NOTÍCIA Alessandra Leite
Divulgação/Viva
 
 

 

Pesquisador Guilherme Brockington fala dos benefícios da contação de histórias ‘para crianças internadas

Projeto da Associação Viva e Deixe Viver utiliza plataforma online para levar afeto e esperança por meio da imaginação e da literatura

 

Especialista em Neurociência e Educação, o pesquisador e professor da Universidade Federal do ABC (UFABC), Guilherme Brockington, é o convidado especial do mês de maio da Sala Viva On, projeto de contação de histórias online promovido pela Associação Viva e Deixe Viver, organização da sociedade civil (OSC) que congrega 1,3 mil voluntários contadores de histórias para crianças em 85 hospitais do país. O bate-papo acontece no próximo dia 26 de maio, às 15h (horário de Brasília).
 

Na ocasião, Brockington abordará os benefícios da contação de histórias para crianças hospitalizadas, assunto tema de pesquisa realizada pelo Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), Universidade Federal do ABC (UFABC), em parceria com a Viva e Deixe Viver. A análise dos dados da pesquisa, segundo o profissional, evidenciou benefícios significativos dos pequenos pacientes que participaram do grupo de contação de histórias.
 

“A contação de história possibilita que, a partir do pensamento e da imaginação, a criança comece a habitar outro mundo e vá para outro mundo, o do personagem. Esse transporte que a narrativa permite, tira a criança daquele ambiente da UTI”, ressalta Brockington.
 

Sala Viva On - Qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, pode acessar o projeto (veja link abaixo), de segunda a quinta-feira, das 10h às 12h e das 15h às 17h, e ouvir uma história contada ao vivo pelos voluntários da Associação Viva e Deixe Viver. A contação também acontece uma vez por semana no período da noite, às quintas-feiras, das 19h às 21h.
 

O projeto foi criado há dois anos, quando a pandemia da COVID-19 impossibilitou a continuidade do trabalho dos voluntários nos hospitais. Diante da necessidade de distanciamento social, a Viva buscou formas de seguir disseminando cultura, por meio do estímulo à leitura, além de levar alegria e afeto não apenas a pacientes hospitalizados, mas para toda a sociedade.
 

O projeto Viva On será mantido, mesmo com o gradativo retorno dos voluntários aos hospitais de modo presencial devido à amplitude alcançada pela ferramenta, cujo conteúdo chega a públicos das diversas regiões do Brasil.
 

“O coronavírus transformou a sociedade em um grande hospital, onde todos somos pacientes de alguma forma. A contação de histórias que oferecemos no Viva On pode fazer bem não apenas às crianças hospitalizadas, mas também àquelas que estão isoladas em casa, retirada de suas rotinas e com uma carga de ansiedade fora do normal. E, além delas, os pais, professores, alunos, profissionais de saúde. Enfim, uma boa história pode fazer bem a qualquer pessoa nesse momento”, comenta Valdir Cimino, fundador da Viva.
 

 

 

Serviço:

Viva On - Contação de histórias ao vivo

Quando: De segunda a quinta-feira, das 10h às 12h e das 15h às 17h e quinta-feira com horário extra, de 19h às 21h.

Onde: Plataforma Google Meet - Link.

 

 

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver:

Fundada em 1997 pelo paulistano Valdir Cimino, a Associação Viva e Deixe Viver é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) pioneira em diversas frentes e políticas públicas. Por meio da arte de contar histórias, forma cidadãos conscientes da importância do acolhimento e de elevar o bem-estar coletivo, a partir de valores humanos como empatia, ética e afeto. A entidade também é referência em educação e cultura, por meio da promoção de atividades de ensino continuado. Nesse sentido, conta com o canal Viva Eduque, espaço criado para a difusão cultural, educacional e gestão do bem-estar para toda a sociedade. Hoje, além dos 1.357 fazedores e contadores de histórias voluntários, que visitam regularmente 85 hospitais em cinco Estados brasileiros e Distrito Federal, a Associação conta com o apoio das empresas Safran, UOL, Banco Daycoval, Expressa Medicamentos, Flexicotton, Daviso, Montana, CCS e Pfizer.

 

Mais informações à imprensa:

LF & Cia Comunicação Integrada

Alessandra Leite - alessandra@lfciacomunicacao.com.br 

Telefone: (11) 93955-2782


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://noticiasdoes.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Envie sua sugestão de pauta pelo Whatsapp