22/02/2024 às 12h38min - Atualizada em 22/02/2024 às 12h38min

Governo do ES garante remanejamento de bolsistas após cancelamento de matrículas na São Camilo em Cachoeiro

O Centro Universitário São Camilo pegou a comunidade acadêmica de surpresa ao cancelar as matrículas dos alunos que ingressariam no ensino superior neste semestre

Por Wanderson Amorim
Foto: Reprodução/Redes Sociais
O Centro Universitário São Camilo pegou a comunidade acadêmica de surpresa ao cancelar as matrículas dos alunos que ingressariam no ensino superior neste semestre. As aulas, que deveriam começar nesta segunda-feira, foram inviabilizadas pela falta de matrículas suficientes para a abertura das turmas, segundo o reitor, padre Anísio Baldessin.

A situação gerou preocupação entre os estudantes, especialmente os bolsistas do programa Nossa Bolsa, que conquistaram bolsas gratuitas para ingressar na instituição. Em relatos ao Notícias do ES, alguns alunos manifestaram frustração com a possibilidade de perderem a oportunidade de estudar na universidade em 2024.

Padre Anísio explicou que a não abertura das turmas foi comunicada aos estudantes, bolsistas e não bolsistas, por e-mail e mensagem via WhatsApp, a partir do dia 8 deste mês. Ele ressaltou que, conforme o edital, caso não fosse atingido o mínimo de 85% das vagas, os cursos não seriam abertos.

No entanto, o reitor destacou que mesmo com números inferiores, as turmas poderiam ter sido abertas, mas os números ficaram muito aquém do esperado, chegando a apenas 10 ou 11 alunos por turma, o que inviabilizava a viabilidade financeira. O padre lembrou que, no passado, cursos com poucos alunos foram abertos, mas atualmente isso não é mais sustentável, devido aos custos envolvidos.

Diante da situação, os alunos demonstraram preocupação com a possibilidade de perderem a bolsa de estudos e reclamaram da falta de tempo hábil para buscar vagas em outras instituições. A assistente social sugeriu a alguns alunos que fizessem o Enem novamente, o que gerou insatisfação entre os estudantes.

No entanto, o Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), informou que os alunos bolsistas não ficarão desamparados e serão remanejados para outras instituições. Uma nota oficial sobre o caso será divulgada em breve, segundo a assessoria de imprensa da Secti.

Padre Anísio destacou que houve um corte significativo no número de vagas do programa Nossa Bolsa e que a São Camilo tentou adiar o prazo de matrícula para depois do Carnaval, mas a Secti manteve a data final para o dia 8 de fevereiro, cumprindo o prazo legal estipulado.

O reitor apontou diversos fatores para o baixo número de matrículas, incluindo a migração de estudantes para o Ensino à Distância (EAD), a queda do poder aquisitivo e a concorrência com outras instituições. Ele não descartou uma reformulação na unidade para acompanhar as tendências atuais e revelou que a São Camilo estuda a criação de cursos EAD, após passar a pertencer ao polo de São Paulo no ano passado.

A situação levanta questões sobre os desafios enfrentados pelas instituições de ensino superior e a necessidade de adaptação às mudanças do mercado educacional, especialmente em um contexto de transformações tecnológicas.

Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo que acontece! Basta clicar aqui.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://noticiasdoes.com.br/.