22/07/2022 às 20h32min - Atualizada em 23/07/2022 às 00h03min

Seis chuvas de meteoros poderão ser vistas entre julho e agosto

Durante o verão, no hemisfério norte, será possível ver seis chuvas de meteoros. O pico será em julho. Os observadores estão ansiosos.

Olhar Digital
https://olhardigital.com.br/2022/07/22/ciencia-e-espaco/seis-chuvas-de-meteoros-poderao-ser-vistas-entre-julho-e-agosto/

O verão, no hemisfério norte, é a estação que abriga o maior número de “estrelas cadentes“, tendo o seu pico no mês de julho. Observadores de todo o mundo aguardam ansiosos para observar a chuva de meteoros de Perseidas – os “Fiéis Antigos” das exibições anuais dos meteoros.

Entretanto, neste ano, a lua quase cheia dificultará seriamente a observação de Perseidas. Então, por que não observar outras seis chuvas de meteoros que poderão ser vistos sem a interrupção da lua?

A previsão é de que os eventos ocorram entre os dias 26 de julho e 21 de agosto, sendo três ocorrências em julho e outras três em agosto.

Leia mais:

Uma das melhores chuvas de meteoros do ano ocorre nesta semana
Chuva de meteoros do Cometa Halley tem máxima nesta quarta-feira (20);
Chuva de meteoros: saiba tudo no Olhar Espacial desta sexta-feira (30)

Alfa Capricornídeos

Esta chuva de meteoros atingirá ápice no dia 26 de julho. Ela começou em 10 de julho e se estenderá até 15 de agosto. As estrelas de Capricórnio (o Bode do Mar) formam uma figura aproximadamente triangular, que pode sugerir uma arraia nadando diretamente em sua direção. Apenas alguns meteoros aparecerão por hora, portanto, a visibilidade da maioria deles será esporádica. É possível confundir os fragmentos da capricornídeos com outra chuva, mas uma boa maneira de identificar a origem dos é imaginar o caminho do meteoro, se ele passa perto da constelação de Capricórnio, é provavelmente um membro da chuva.

Piscis Austrinídeos

Esta chuva de meteoros se estende do dia 15 de julho ao dia 10 de agosto, atingindo o pico em 28 de julho. Durante o evento, a lua não atrapalhará a visibilidade. Devido à sua baixa altitude, este fluxo de meteoros é melhor visto do hemisfério sul

Delta Aquarídas

O dia 30 de julho marca o pico da Delta Aquarídas, o período de ocorrência do evento é do dia 12 de julho ao dia 23 de agosto. Aquarius (o Portador de Água) é retratado como alguém carregando descuidadamente um pote de água, de modo que a água parece estar derramando. O jarro de água é marcado por um pequeno triângulo de estrelas fracas, com uma quarta estrela em seu centro. Curiosamente, esta chuva tem dois radianos, sugerindo que estamos vendo dois fluxos distintos de detritos celestiais queimando na atmosfera terrestre. Espera-se principalmente meteoros fracos, de média velocidade, com eventos ocasionais significativamente mais brilhantes. A lua ainda estará fora de cena, e ambos os radianos atingem seu ponto mais alto no sul, o que significa que as circunstâncias de visão serão favoráveis durante toda a manhã.

Capricornídeos Alfa

Outro fraco banho de Capricórnio, que começou por volta de 3 de julho, atinge o pico na mesma noite que o Delta Aquarids (30 de julho) e termina em 15 de agosto. O radiante está 40 graus acima do horizonte à 1 da manhã. Embora poucos em número, os Capricornídeos Alfa produzem frequentemente meteoros amarelos lentos e brilhantes (às vezes da classe bola de fogo) que podem ser espetaculares.

Iota Aquarídas

Esta é a última chuva menor antes dos Perseidas e é outra chuva de dois radiantes tendo membros detectáveis entre 15 de julho e 25 de agosto. No pico de atividade em 6 de agosto, uma lua gibosa se estabelecerá pouco depois da meia-noite, deixando o resto da noite escuro para a observação de meteoros. Na melhor das hipóteses, talvez seis membros por hora serão vistos sob boas condições.

Os Perseidas

Uma lua minguante dominará os céus das noites de 12 a 13 de agosto para estragar o desempenho anual da chuva de meteoros Perseida deste ano. O radiano, que não está longe do famoso Double Star Cluster ao norte de Perseu, eleva-se à noite e estará a quase 70 graus acima do horizonte norte, ao amanhecer. Se não fosse pelo efeito de obstrução da luz da lua, os observadores notariam um crescente em taxas horárias médias de mais de 60 meteoros por hora. Muitos meteoros em chamas passarão sob os céus escuros, mas infelizmente, apenas o mais brilhante deles será visível em 2022. Esta chuva normalmente se estende de 25 de julho a 18 de agosto.

Kappa Cygnids

Esta é a última das chuvas de meteoros do verão, com a próxima exibição significativa, mas não chegarão até a última quinzena de outubro. A constelação anfitriã Cygnus (o Cisne) é formada por uma grande figura de seis estrelas popularmente chamada de a Cruz do Norte, cujo longo eixo se encontra ao longo da Via Láctea. As datas para ver esta chuva vão de 3 a 25 de agosto, com o pico ocorrendo no dia 17 de agosto. A taxa máxima será de apenas três ou quatro meteoros por hora.

Além da chuva de meteoros, há sempre aqueles fragmentos esporádicos. Antes da meia-noite, estes ocorrerão em uma média de dois ou três por hora; pouco antes do amanhecer, haverá talvez até seis ou sete.

A duração em dias das chuvas de meteoros aqui fornecidas é um tanto arbitrária, já que o início e o fim são graduais e indefinidos.

Via: Space.com

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

O post Seis chuvas de meteoros poderão ser vistas entre julho e agosto apareceu primeiro em Olhar Digital.



Fonte: https://olhardigital.com.br/2022/07/22/ciencia-e-espaco/seis-chuvas-de-meteoros-poderao-ser-vistas-entre-julho-e-agosto/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://noticiasdoes.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Envie sua sugestão de pauta pelo Whatsapp