06/07/2022 às 21h21min - Atualizada em 07/07/2022 às 00h01min

Deputados aprovam cota imediata para mulheres e benefício a ex-atletas na Lei Geral do Esporte

Foram rejeitadas isenções fiscais para empresas vinculadas a entidades promotoras de eventos esportivos

Política
https://www.camara.leg.br/noticias/895123-deputados-aprovam-cota-imediata-para-mulheres-e-beneficio-a-ex-atletas-na-lei-geral-do-esporte/

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (6), na votação em Plenário, destaques que incluíram na proposta de Lei Geral do Esporte (PL 1153/19) medidas favoráveis a mulheres e ex-atletas e contrárias a isenções fiscais para empresas promotoras de eventos. O texto segue para o Senado.

Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Discussão e votação de propostas. Dep. Arthur Lira PP - AL

Discussão e votação de propostas. Dep. Arthur Lira PP - AL

Arthur Lira (C) preside a sessão do Plenário

Um destaque do PT garantiu eficácia imediata à cota de 30% de mulheres nos cargos de direção de entidades esportivas beneficiadas com recursos públicos e de loterias. O texto rejeitado aplicava a cota a partir de 2028.

A deputada Soraya Santos (PL-RJ) lembrou que a eficácia imediata da cota já tinha sido aprovada pelo Senado. Já o líder do MDB, deputado Isnaldo Bulhões Jr. (AL), afirmou que não há justificativa para prorrogar essa determinação. “Por que não dar vigência imediata e garantir a participação das mulheres?”, questionou.

Assistência a ex-atletas
Os deputados aprovaram emenda do PP que garante assistência para ex-atletas profissionais. Para isso, haverá repasse à Federação das Associações de Atletas Profissionais (FAAP) de percentuais do salário dos jogadores e do valor pago pela transferência dos atletas. Esses valores serão utilizados na manutenção de programas assistenciais de transição de carreira ao atleta profissional.

Para o deputado Afonso Hamm (PP-RS), os ex-jogadores que não tiveram êxito precisam de apoio, pois “se dedicaram anos ao futebol e não tem mais uma profissão”. “Eles precisam de uma transição de carreira, de um apoio social e de uma nova formação profissional”, defendeu.

O relator do projeto, deputado Felipe Carreras (PSB-PE), criticou a mudança. “Com toda a nobreza do trabalho que a FAAP faz, nós estamos aqui decidindo obrigar os atletas a doarem para a entidade, sendo que nem sindicato tem direito porque o Congresso acabou com essa cobrança”, disse.

Isenção tributária
Os deputados excluíram da proposta a concessão de isenção tributária a empresas domiciliadas no Brasil e vinculadas a organização esportiva promotora de evento desportivo. Os deputados aprovaram destaque do Psol para retirar esse ponto do texto.

A deputada Vivi Reis (Psol-PA) afirmou que a isenção proposta é muito ampla e geraria custo aos cofres públicos. “A gente precisa refletir o quanto isso vai interferir diretamente no recolhimento dos impostos que vão ser voltados para as políticas públicas”, disse.

Já o deputado Paulão (PT-AL) declarou que a redação do dispositivo permitiria uma leitura ampla da empresa vinculada. “Quando você coloca empresa vinculada, a Globo pode ser uma empresa vinculada porque ela transmite o evento. Ou seja, a abertura deste guarda-chuva é temeroso e tem consequências”, explicou.

Para o deputado Capitão Fábio Abreu (PSD-PI), o dispositivo poderia dar isenção total à Confederação Brasileira do Futebol (CBF). “Imaginem a CBF, entidade que mais arrecada no esporte, ser beneficiada desta forma”, criticou.



Fonte: https://www.camara.leg.br/noticias/895123-deputados-aprovam-cota-imediata-para-mulheres-e-beneficio-a-ex-atletas-na-lei-geral-do-esporte/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://noticiasdoes.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Envie sua sugestão de pauta pelo Whatsapp