Deputados pedem que Governo do ES faça manutenção de museus

Deputados pedem que Governo do ES faça manutenção de museus

A Indicação 768/2021 feita por Sergio Majeski (PSB) para que o Estado assuma a manutenção do África Brasil Museu Intercontinental e do Museu Imperial, ambos em São Mateus, ganhou a adesão de parlamentares na sessão virtual ordinária desta quarta-feira (31).

Segundo o socialista, a indicação atende a pedido de pessoas ligadas ao movimento no município, uma vez que os dois estabelecimentos se mantêm com recursos próprios. Ele destacou a importância da proposta. “(Os museus) são uma parte fundamental para a preservação da história de um povo”, afirmou.

Ainda de acordo com Majeski, com a entrada em vigor do Novo Ensino Médio e a exigência de atividades extraclasse, os museus podem servir de complemento das atividades escolares.

Máscaras

A deputada Iriny Lopes (PT) cobrou um local onde esses dois espaços possam funcionar. “Há mais de dez anos essa história se arrasta”, disse, referindo-se aos esforços do escritor Maciel de Aguiar na manutenção dos estabelecimentos. Ela lembrou inclusive que a Bahia tentou levar o acervo de máscaras do África Brasil Museu Intercontinental. “Ninguém tem um acervo como aquele no Brasil”, pontuou.

A parlamentar sugeriu que o teatro perto da Secretaria Municipal de Saúde abrigue, em uma de suas dependências, as máscaras africanas e frisou que um estado formado por maioria de negros precisa dar valor a esses itens.

Já Doutor Hércules (MDB) citou que Maciel é o único no Brasil que tem mais de 5,5 mil itens da história do País, especialmente da história dos negros. “É preciso que o poder público, especialmente o governo do estado, dê atenção”, ressaltou.

O líder do governo Freitas (PSB) endossou a indicação e adiantou que “fez alguma movimentação junto ao governo do estado de forma direta pela manutenção” dos museus.

Novo projeto

Foi autorizada a tramitação do Projeto de Lei (PL) 110/2021, de Capitão Assumção (Patri). A proposta passa a considerar complicações geradas pela Covid-19, inclusive óbitos, como acidente de trabalho ou doença profissional. A nova interpretação da lei valeria para militares estaduais e policiais civis. As comissões de Justiça, Segurança e Finanças emitirão parecer sobre a medida.

admin

admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *